28 de out de 2011

De braços amarrados

Às vezes me sinto assim:


Me sinto presa nos meus pensamentos e, principalmente, nos meus sentimentos. Essa camisa me envolve de tal maneira que chega a me sufocar, permitindo que minha vida pare no tempo, dependendo de algo que, no fundo, eu credito que nunca vá acontecer.
O silêncio toma conta de mim, me ensina a ter paciência, me ensina a olhar para dentro e perceber minh'alma independente de tudo; o auto conhecimento mais prazeroso que existe, uma viagem além das expectativas.
Quero soltar as amarras a partir do encontro do meu EU comigo mesma. Um encontro diferente onde eu possa perceber meu entorno, minha vizinhança com um olhar diferente daquele que sempre me acompanha. O olhar da alma, do coração, da certeza em acreditar que tudo que há de melhor está ao meu alcance, num piscar de olhos de distância.

Nenhum comentário: