30 de set de 2011

A essência dos estudos

São tantos tropeços que a vida nos leva a passar. Posso falar em permissão porque esses tropeços são essenciais durante a nossa existência. Estamos passando por expiações (provações se preferes chamar assim, ou tem outra denominação melhor? Aceito sugestões...). E a cada escolha que fizemos, estas nos elevam ou nos atrasam ou nos deixam estacionados.
Ainda estou lendo diversos livros sobre o tema, estudando mesmo, para perceber, entender e aceitar minha condição humana, minha missão nesta existência. Enquanto seres terrenos não somos perfeitos nem temos a felicidade eterna. Porém, todos estão em busca destes objetivos, os verdadeiros motivos/sentido para tantas vivências/experiências.

Sugestões de leitura (Allan Kardec):
  • O Evangelho Segundo o Espiritismo
  • O Livro dos Espíritos
  • Gênesis
  • O Céu e o Inferno

Desejos sempre...

Desejo:
  • o perfume da mais bela flor
  • o calor do sol
  • o brilho da lua
  • o piscar das estrelas
  • o arrepio que o vento provoca
  • a melodia da mais linda música
  • o sabor do chocolate mais puro
  • a inocência de uma criança
  • o sorriso da felicidade
  • a lágrima do encantamento
Desejo tudo isso e muito mais.

29 de set de 2011

Recomendadíssimo

Excelente meio de transporte, amiga do meio ambiente e grande oportunidade para fazer uma atividade física e manter a saúde em dia.


Só não esqueça de fazer alongamentos prévios.

Meus cantinhos preferidos

Sem rodeios... adoro meu quarto e a cozinha.
Cozinha = fofocas, conversas sérias e divertidas... mas um cantinho que adoro arrumar é a geladeira... por fora.
Mas meu quarto é o preferido. Nele encontro tudo que preciso, que gosto e que me fazem bem: cds, dvds, computador e livros... E aqui meus livros que amo, que tenho muito ciúmes...



27 de set de 2011

Cry for help

Peço licença ao Rick Astley para utilizar o título de uma música sua como uma forma de expressar este post.  

O cansaço, às vezes, me domina. 
Não falo apenas do cansaço físico, mas também do cansaço mental que, ao meu ver, é o mais cansativo. São tantos acontecimentos, tantos estresses que me rodeiam! Busco pela minha antiga tranquilidade; essa sim eu dava valor. A calmaria do meu cantinho nem tenho mais. É um entra e sai, um vai e volta de pés descalços, sem rumo, sem ritmo. Fecho os olhos e ouço o badalar de sinos distantes e que, com o passar dos segundos, vão se aproximando e me deixando tonta. 
Preciso lutar contra este sentimento que me deixa super cansada, esgotada no mais íntimo da minha existência. Me sinto impotente, não consigo (ou não quero?) reagir.
Choro! As lágrimas me confortam, limpam minh'alma repleta de angústias, de sentimentos conflitantes.
Sabe aquelas nuvens escuras que ficam rondando os personagens de histórias em quadrinhos? Me sinto pesada como se fosse possível a existência delas sobre mim.
Só me resta esperar passar esta tempestade de sentimentos confusos que me corroem por dentro. Esperar aqueles primeiros raios de sol que aparecem de mansinho para iluminar meus dias e fazer com que o colorido da vida volte a ter sentido.

Pra quem não conhece...


Quebrando o Tabu

Drogas: uma polêmica onde ainda tem muita coisa a ser discutida.
"Quebrando o Tabu" é um decumentário que discute as politicas anti-drogas no mundo todo, ancorado pelo sociólogo e ex-presidente FHC, propondo uma boa reflexão sobre o tema. Você pode assistir "Quebrando o Tabu" de graça até o dia 02/10 em: .
Achei no youtube uma apresentação deste documentário, por isso achei interessante colocá-lo aqui pra vocês. E ao mesmo tempo, faço alguns questionamentos:
  • Existe droga inofensiva?
  • Campanhas educacionais dão resultado?
  • Drogas: política, criminalidade, saúde pública?


* Dei uma olhada em diversos sites sobre o tema e observei nos comentários que as pessoas confundem os termos descrimnalização e legalização. Então, só para esclarecer:
Descriminalizar significa retirar de algumas condutas o caráter de criminosas. O fato descrito na lei penal deixa de ser crime, porém contianua a ser ilícito.
Na legalização, portanto, o fato é descriminalizado substancialmente e deixa de ser ilícito, isto é, passa a não admitir qualquer tipo de sanção.


Meu* artigo na revista Faeeba

REPRESENTAÇÕES E PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL
EM UMA ESCOLA PÚBLICA
DO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA (BA):
subsídios para a ambientalização do currículo escolar

RESUMO

Considerando que a Educação Ambiental vem sendo apontada como uma prática urgente e importante para a sociedade, iniciou-se um trabalho de Educação Ambiental em uma escola da rede pública estadual de Feira de Santana (BA), que teve como principal objetivo a inclusão da temática ambiental em seu Projeto Político Pedagógico. A metodologia adotada por este trabalho foi a da pesquisa-ação, durante a qual foi realizado um primeiro diagnóstico (através de questionários exploratórios) com os alunos e professores desta escola, a fim de perceber as suas representações sociais em relação ao meio ambiente e à Educação Ambiental. As concepções de meio ambiente expressas nos questionários, tanto dos professores quanto dos alunos, em sua maioria o identificaram com a natureza, um ambiente original, do qual os seres humanos não fazem parte. Após a etapa diagnóstica, os professores elencaram os problemas ambientais percebidos na escola e fizeram leitura e discussão de textos relacionados à temática ambiental. A partir destes caminhos já trilhados e do registro dos progressos e dificuldades da intervenção, nós, professores, discutimos os resultados obtidos e promovemos um planejamento participativo de ações de Educação Ambiental a serem inseridas no Projeto Político-Pedagógico da referida escola.
Palavras-chave: Educação formal – Planejamento participativo – Representação Social

Quem tiver interesse em ler todo o artigo, é só clicar neste link. O artigo está na revista nº 28, páginas 161 a 172.

*A outra autora (co-autora) foi minha professora e orientadora na especialização.

26 de set de 2011

Ecoparque de UNA

No dia seguinte, fomos conhecer o Ecoparque de UNA que é um projeto de ecoturismo, localizado em UNA, sul do estado da Bahia, cerca de 45 km ao sul da cidade de Ilhéus. Trata-se de uma parceria com o IESB (Instituto de Estudos Sócio-Ambientais do Sul da Bahia) com uma instituição americana (Conservation International). Tem como principal objetivo servir como um empreendimento demonstrativo da potencialidade do ecoturismo como uma atividade econômica alternativa, compatível e dependente da conservação dos recursos naturais do sul da Bahia. Oferece, também, aos visitantes a oportunidade de contato direto com o meio ambiente, de forma interativa e dinâmica, proporcionando uma aprendizagem agradável sobre a necessidade de conservação dos recursos naturais e culturais visitados.
 O Ecoparque vem cumprindo seu papel como centro de educação ambiental para as populações locais e visitantes. Várias instituições de ensino, públicas e privadas, utilizam o Ecoparque de UNA como local para a realização de visitas técnicas, aulas de campo (que foi o nosso caso) e atividades lúdicas com seus alunos, permitindo assim um aprendizado mais dinâmico e um contato direto com a natureza e seu funcionamento. Educar as gerações futuras parece ser o caminho mais seguro para assegurar a proteção do que restou da biodiversidade da Mata Atlântica.
O Ecoparque de UNA oferece trilhas e banho de rio. No início dessa trilha, que passa por uma planteção de seringueiras, aprendemos como se extrai o látex dessa árvore e quais são os produtos fabricados a partir dele (pneus, com 90% de borracha natural e 10% de borracha sintética; camisinha, chupeta, luvas cirúrgicas, pneus de Fórmula 1 com 100% de borracha natural; outros materiais com 10% da borracha natural e 90% da borracha sintética). 
O processo de extração do látex é diferente do utilizado na Amazônia (em forma de V). Eles dividem o tronco da árvore em quatro partes que perfazem um total de quatro anos, tornando possível a renovação da casca da primeira parte extraída. Dessa forma, aproveitam muito mais a extração do látex, não alterando o crescimento natural da planta. A trilha recebe cuidados especiais quanto ao controle de erosão, drenagem, segurança e conforto para quem participa. Durante a caminhada foi observada a diferença entre a mata virgem e a mata secundária: as árvores da mata virgem são separadas, cada uma no seu devido lugar e as árvores da mata secundária estão ainda "procurando" o seu lugar, parece um emaranhado. 
Fazer essa trilha é sentir a adrenalina a mil nas quatro pontes móveis suspensas na copa das árvores a, aproximadamente, 22m do solo, e que são protegidas por redes laterais. As sensações experimentadas ao longo da ponte foram as mais variadas, permitindo a florar emoções um tanto esquecidas por alguns colegas (entenda como quiser... rsrsrsrsrs). Dessa forma, a cachoeira pela qual passamos foi batizada de "Cachoeira do Prazer". Foi o ponto mais alto da caminhada, para Indiana Jones nenhum botar defeito. 
A manutenção dessas pontes é feita uma vez ao ano, através de cabos de aço que são lançados nas copas das árvores para substituição dos cabos defeituosos, garantindo uma maior segurança para os visitantes do parque. Esta trilha permitiu-nos conhecer uma porção bem preservada da Mata Atlântica, com árvores centenárias de espécies como maçaranduba, sapucaia, jatobá, cedro e copaíba, além de palmeiras juçara e piaçaveira. Decepção só mesmo para aqueles, como nós, que esperavam dar de cara com o mico-leão-dourado, que habita o parque. O bichinho é um tanto arisco e detesta barulho, por isso não nos deu a honra da sua presença.
Após esta maravilhosa "expedição" chegamos as final da trilha onde aconteceu um banho de rio de águas geladíssimas, compras de "souvenirs" e o começo de uma gincana ecológica, no próprio parque. Nessa etapa foi feita uma pequena integração entre os alunos da graduação e pós-graduação (meu caso) com o objetivo de aproximar experiências. Após esse período, o grupo foi dividido em quatro equipes que deveriam cumprir as cinco tarefas já determinadas pelo professor que nos acompanhava. Essas tarefas estavam relacionadas às questões referentes ao trabalho realizado nos diversos espaços visitados. Mas se houvesse alguma tarefa que necessitasse de um contato maior com a natureza, existiam participantes de diversas modalidades esportivas: triatletas (com nível olímpico), escaladores  de trilhas e xímios nadadores demosntrando sua perfeita forma física, dando direito até a um aquecimento através de banho de garrafa. Com certeza a equipe brasileira está perdendo grandes competidores.
Já quase no fim da tarde fomos almoçar na Ilha de Comandatuba, onde, novamente compramos lembrancinhas e a gincana ecológica foi finalizada.
Retornamos ao hotel quase 21:00 e, como ficou decidido em UNA por uma maioria duvidosa (hein?), retornamos para nossa cidade no mesmo dia. Passamos em Itabuna e seguimos viagem.

Home Office

Tenho que organizar meu cantinho para trabalhar. Mas, enquanto isso não acontece, pesquisei na net algumas sugestões e achei legal compartilhá-las com vocês.











Enquete

Que curso pela internet você gostaria de fazer?
Tecnologias Midiáticas
Prevenção do Uso de Drogas
Educação Ambiental
Gestão Escolar
Votar
resultado parcial...

Uma viagem de campo para Ilhéus*

Percorrendo cerca de 280 km a partir de Feira de Santana, Bahia, de ônibus, cheganos à cidade de Ilhéus, também na Bahia. A viagem durou cerca de 6h e foi super tranquila. 
A primeira atividade do dia foi conhecer a CEPLAC (Comissão Executiva de Plano de Lavoura Cacaueira), localizada no km 22 da rodovia Ilhéus - Itabuna, BR 145. Ao chegarmos fomos recepcionados pelo assessor de comunicação, que ministrou uma palestra, enfocando o histórico e atividades desenvolvidas pela CEPLAC. Após esta exposição fizemos um "tour" pelas áreas e instalações da CEPLAC, conhecendo mais um pouco desta empresa que tanto faz pelo desenvolvimento sustentável e pela preservação da Mata Atlântica.
Fazem parte da CEPLAC: CEPEC, CENEX, Projeto Bicho-Preguiça e EMARC.

CEPEC (Centro de Pesquisa do Cacau)
Criado em 1962, o CEPEC é um dos principais centros de pesquisa do mundo, tendo desempenhado papel fundamental na geração, adaptação e implementação de tecnologias para o desenvolvimento da sregiões produtoras do cacau.
O CEPEC possui laboratórios de Fitopatologia, Entomologia, Microbiologia, Biotecnologia, Genética e Biologia Molecular. Além de apoiar diretamente ações pesquisas, os laboratórios do CEPEC são utilizados para prestação de serviços.
As atividades de campo do CEPEC desenvolvem pesquisas na área de cacau, palmáceas, seringueiras, pastagens, fruteiras, especiarias, pecuária de leite e recursos ambientais. As principais linhas de pesquisa desenvolvidas pelo CEPEC referem-se à genética e melhoramento fitossanitário, fisiologia vegetal, solos e nutrição de plantas, tecnologia de pós-colheita e agroindústria, economia e sociologia rural, diversificação de cultivos, pastagens e gestão de recursos ambientais.

CENEX (Centro de Extensão)
Tem como objetivo a  modernização da cacauicultura nos estados da Bahia e Espírito Santo. Baseia-se na substituição das copas de cacaueiros improdutivos atacados pela doença vassoura-de-bruxa, por material clonal tolerante e de alta produtividade, e na identificação e seleção de plantas resistentes.

Projeto Bicho-Preguiça de Coleira
Este projeto tem como objetivo recuperar preguiças apreendidas de caçadores e comerciantes de animais e doados ao CEPLAC por diversos órgãos como IBAMA, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal e, também, pela comunidade.
Estes animais achegam ao CEPLAC bastante estressados. É uma espécie que está correndo sério risco de extinção. Há uma metodologia específica para a reabilitação das preguiças apreendidas para, em seguida, serem reintroduzidas nas áreas de ocorrência natural. 

EMARC (Escola Média de Agropecuária da Região Cacaueira)
É um programa de educação profissionalizante, que teve início em 1965 com o objetivo de promover o desenvolvimento regional. 

Meio Ambiente
A CEPLAC possui estações ecológicas experimentais que são destinadas a pesquisas. Destacamos a estação ecológica de Pau-Brasil, uma área de Mata Atlântica, onde uma parte é destinada a experimentos, conservação, recuperação e uso sustentável. É uma área considerada de alta biodiversidade. 

Após esta visita, onde terminamos com a degustação do verdadeiro chocolate de cacau, fomos almoçar na UESC (Universidades Estadual de Santa Cruz), situada entre as cidades de Ilhéus e Itabuna, onde, à tarde, conhecemos a Projeto do Biocombustível, que transforma o óleo e gorduras em combustível.
Do acarajé para a camionete, o óleo de fritura em Ilhéus segue uma rota ecologicamente correta. Ao invés de ser jogado no esgoto, entupindo encanamentos e poluindo rios, ele é transformado em combustível e utilizado em carros da própria UESC. A UESC fez um convênio com um hotel local que aproveita este novo combustível também em seus veículos.
A UESC recebe o óleo de fritura de comerciantes que vendem comida na praia e em um shopping center local. Na região do shopping, a companhia de esgoto costumava fazer um trabalho de manutenção dos encanamentos a cada 15 dias. Com a utilidade do óleo, a manutenção passou a ser feita uma vez por ano, diminuindo, assim, o custo deste serviço.
Processado, o óleo substitui o diesel. Sem nenhuma modificação no motor dos carros normais, pode ser msiturado a uma proporção de até 20%, como o álcool é adicionado à gasolina.
A principal vantagem do biocombustível é reciclar um resíduo que polui e custa muito para ser eliminado da natureza. Ao mesmo tempo, reduz-se o uso do diesel, que é um combustível fóssil não renovável. Em relação à poluição do ar, biodiesel também é vantajoso, pois diminui em cerca de 50% a emissão de poluentes na atmosfera.

Ao anoitecer voltamos para o hotel e a noite foi livre.
O que aconteceu no dia seguinte é história para um outro post: visita ao Ecoparque de UNA...

*Realizada em 2004

As Ciências Humanas e os Métodos*

As Ciências Humanas se desenvolveram a partir do modelo do positivismo, que estuda os fenômenos empíricos, ou seja, fenômenos que estão relacionados com a prática. Ele estuda o ser humano apenas do ponto de vista biológico (não levando em conta o lado emocional e afetivo). Isto pode ser um ponto positivo para o positivismo por que, a partir do estudo biológico, conhece-se os órgãos do corpo humano e suas respectivas funções (por exemplo). Porém, também tem seu ponto negatico: o método positivista define passos que devem ser obrigatoriamente cumpridos para que um determinado estudo seja validado cientificamente, não importando aí o contexto social. Não importa, também, levar o indivíduo a pensar, refletir ou criticar. Utilizando o mesmo exemplo, não leva em consideração a interação entre os órgãos, o comportamento de todos os sistemas na ausência de um deles e nem insere o homem em alguns contextos. Estas características, que são holísticas, podem ser expressas por uma única palavra: INTEGRAÇÃO.
As Ciências Humanas podem ter abordagem positivista, com experiências realizadas quantas vezes forem necessárias, chegando-se aos mesmos resultados, e holística, complementando este trabalho com o estudo do todo.
Para se chegar a algum resultado, não importa se pela abordagem positivista ou holística, deve-se, portanto, seguir um caminho. Este caminho chamamos de MÉTODO.
O método é um conjunto de etapas a serem vencidas numa investigação, no estudo de uma ciência ou para alcançar determinados fins, e para que possamos tembém alcançar o nosso objetivo, precisamos seguir um método. Vejamos um exemplo do nosso dia a dia: para ouvir um cd, uma pessoa tem que ligar o aparelho de som, realizando uma série de operações que requer uma série de atividades definidas:
  • colocar a tomada no lugar adequado (na parede);
  • ligar o aparelho no botão que indica "power";
  • ligar a chave que indica "cd";
  • abrir o compartimento do cd;
  • colocar o cd no compartimento;
  • fechar o compartimento do cd;
  • colocar o cd em operação, pressionando a tecla "play";
  • ajustar o volume.
A partir da última operação, você conseguirá ouvir o seu cd preferido.
A maioria das pessoas executa essas operações de um modo tão automático que não chega a pensar nelas, nem que a ordem de sua sequência constitui um método. A partir deste exemplo, podemos perceber que os métodos são indispensáveis para o desempenho das mais diferentes atividades humanas, estabelecendo, assim, o caminho correto para chegar aos resultados esperados da investigação.

* Texto estraído da atividade reflexiva da disciplina Metodologia da Pesquisa do curso de especialização em Educação Ambiental para a Sustentabilidade, UEFS.

25 de set de 2011

Desenvolvendo um blog

Certa vez resolvi que teria um blog, pois adoro escrever. Comecei um pouco tímida e tal. Hoje em dia me sinto mais livre, solta e tranquila para postar meus textos, alguns são resultados de rascunhos, outros escritos na hora de postar.
Navegando pela net mais uma vez, encontrei um blog interessante que dá algumas dicas super úteis para quem escreve ou quer começar um blog.
Para conferir o blog, clique aqui.

Sugestões

Pessoal!!!

Amo meu blog e vocês já sabem disso...
Então, quem quiser colaborar com algum tema que eu possa desenvolver, me dê um retorno nos comentários...


Bjs...

Destralhe-se

Como já é do meu costume, da minha rotina, enquanto licenciada por motivos de saúde (ou não?), tô sempre viajando na net. Fuçando aqui, ali e acolá, encontrei um texto interessante de Carlos Solano sobre as tralhas da nossa vida: que tipo de tralhas temos, como eliminá-las e como nos sentimos sem elas. Vale a pena ler.

Já ouviu falar em toxinas da casa?
Pois são:
- objetos que você não usa,
- roupas que você não gosta ou não usa a um ano,
- coisas feias,
- coisas quebradas, lascadas ou rachadas
- velhas cartas, bilhetes,
- plantas mortas ou doentes,
- recibos/jornais/revistas, antigos,
- remédios vencidos,
- meias velhas, furadas,
- sapatos estragados...

Ufa, que peso!

O 'destralhamento' é a forma mais rápidas de transformar a vida e ajuda as outras eventuais terapias.

Com o destralhamento:
- A saúde melhora;
- A criatividade cresce;
- Os relacionamentos se aprimoram...

É comum se sentir:
- cansado,
- deprimido,
- desanimado,
em um ambiente cheio de entulho, pois "existem fios invisíveis que nos ligam à tudo aquilo que possuímos".

Outros possíveis efeitos do "acúmulo e da bagunça":
- sentir-se desorganizado;
- fracassado;
- limitado;
- aumento de peso;
- apegado ao passado...

No porão e no sótão, as tralhas viram sobrecarga;
Na entrada, restringem o fluxo da vida;
Empilhadas no chão, nos puxam para baixo;
Acima de nós, são dores de cabeça;
Sob a cama, poluem o sono”.

Perguntinhas úteis na hora de destralhar-se:
* Por que estou guardando isso?
* Será que tem a ver comigo hoje ? 

* O que vou sentir ao liberar isto?

...e vá fazendo pilhas separadas...
- Para doar!
- Para jogar fora!

 
Para destralhar mais:
- livre-se de barulhos,
- das luzes fortes,
- das cores berrantes,
- dos odores químicos,
- dos revestimentos sintéticos...
 

E também...
- libere mágoas,
- pare de fumar,
- diminua o uso da carne,
- termine projetos inacabados.

"Acumular nos dá a sensação de permanência, apesar de a vida ser impermanente", diz a sabedoria oriental.

Assuntos interessantes

Somos seres sociais.
Por isso estamos sempre interagindo com as pessoas que estão à nossa volta.
Mas, às vezes, nos vemos numa cilada: como iniciar uma conversa, principalmente quando acabamos de conhecer uma pessoa?
Você pode começar com uma saudação alegre e, em seguida, começar a falar sobre o lugar onde vocês estão (o evento, uma visita...). Elogiar, ser cortês e educado também é um bom começo. Falar sobre hobbies, como esportes, livros, cinema, música, artes e televisão também é válido, são assuntos que fazem parte do dia a dia das pessoas. No começo evite temas polêmicos.
Essas são apenas dicas e não regras para serem seguidas. Devemos lembrar que o que é interessante para nós, pode não ser para outras pessoas. Quando há interesses em comum os assuntos fluem naturalmente, um após o outro. Conversar é uma partilha.
Sei que você pode tá dizendo: "Falar é fácil!". Claro que é fácil!!! O difícil e complicado é começar a conversar... rsrsrsrsrsrs... eu sou super tímida!!! Dizem que ela (a timidez) é inofensiva, mas ela sempre atrapalha algum setor da vida (estou falando por mim), seja ele pessoal ou profissional, principalmte quando deixamos passar alguma oportunidade. Alguns fatores contribuem para que a timidez apareça e não queira larga mais do seu (digo aqui... MEU) pé como a baixa auto-estima e falta de confiança. Uma dica seria se atualizar sobre diversos assuntos, dá mais segurança.
E o mais importante de tudo isso: SE AME!!! 

Kore Ga Watashi No Ikiru Michi

Estranho esse título? rsrsrsrrsrsrsr
Pois é, também achei quando o li, quer dizer, quando tentei ler...
Prometi a mim mesma que apenas iria colocar o vídeo sem fazer comentário algum, mas não resisto... 
Essa música é apresentada por duas garotas japonesas, Ami e Yumi, que formam a dupla Puffy. 
Escutando pela primeira vez me fez lembrar as músicas da Jovem Guarda, pelo seu ritmo, porque pela letra não entendi nadinha... aliás entendi "arigatou" e "sayounara"... tô bem de japonês, né?
Bem... mas chega de falatório e vamos ao que interessa...

Hey Ya!

 

Essa música e, em especial, esse vídeoclip, fizeram muito sucesso.
Seu lançamento foi em 2003, pela dupla do Outkast.
A música nos leva a um balanço discreto, pelo menos no começo, mas que se torna contagiante à medida que vamos escutando este ritmo envolvente.
O vídeoclip é fantástico. A primeira coisa que me chama a atenção é a formação da banda com uma montagem da imagem do cantor (apenas ele forma toda a banda - rsrsrsrsr - perfeito). Além disso, têm momentos incríveis: a histeria das fãs, a coreografia dos backing vocals, a família dançando em frente à TV, a fã enlouquecida que sobe ao palco para agarrar o vocalista, as câmeras polaroids em ação (daí a popularização da frase "balance como uma foto de Polaroid"), uma senhora de "cara fechada" na plateia e que no final dança junto com outras garotas (isso mostra o quão contagiante essa música é).
Recomendação de olhos fechados...

Prefácios

Depois deste post, tem alguns abaixo que achei interessante colocar porque fazem parte da minha história de vida, mesmo os textos sendo escritos por minha mãe. Neste, coloco os prefácios que eu escrevi nos seus "livros".

Prefácio do primeiro "livro":
"Todos nós sempre almejamos algo ou queremos algo para a nossa vida. E em toda ela sempre batalhamos para conseguir o que desejamos. Mas, às vezes, por algum motivo, sentimos medo de realizar os nossos sonhos. Mas é a Esperança de um dia poder realizá-los que nos deixa vivos, e que permite que continuemos a batalhar por eles.
As confissões (se posso assim chamá-las) presentes neste 'livro' são o retrato da batalha de uma pessoa muito especial, minha mãe, por uma vida realizada e feliz.
Hoje é possível ela perceber a beleza do sol, o carinho dos animais (em particular o de Max), o olhar de uma criança (Aninha que o diga...). Posso dizer que ela é uma pessoa feliz, com as mesmas coisas que tinha antes, mas sem angústias, as culpas e os medos de antigamente.
A alegria e a felicidade moram dentro dela; a beleza e o bem-estar internos se refletem externamente; e as mudanças ocorridas são percebidas por todos à sua volta.
Ela está mais disposta para a vida."

Prefácio do segundo "livro":
"Uma gota cai sozinha... Mas, no caminho, encontra várias outras gotas. Juntas, transformam o mundo.
Eis aqui, minha mãe a expressar seus sentimentos, num oceano de emoções, encontros e carinhos, prontos a transbordar e transformar toda uma vida em inúmeros caminhos trilhados, repletos de satisfação, realização e, acima de tudo, felicidade."

Ana Luisa

Esse poema minha mãe fez para minha Princesa...

Felicidade ambulante
Que deságua nos meus braços
Moldados para ser seu berço
Pelo infinito da vida.
Riso aberto, gostoso de ouvir,
Mais ainda de sentir.
Borboletinha amarela
Que mal saiu do casulo
E já derrama o prazer de viver
No caminho de quem
Com ela cruzar.
Abre-te Sésamo! É ela que chega!
Tão vaidosa, tão combinando,
Toda sorriso, tanto encantamento!
E uma avó boba
Que a cada dia renova e aumenta
A paixão que sente
Por esse pedacinho de gente!
                                                              (Neuza Freitas)

Para uma menina como uma flor

Este texto minha mãe escreveu quando eu fiz 15 anos...
Adoro!!!

"Não sou Vinícius, mas posso te desejar uma flor de vida, uma flor de amor, uma flor de realizações. Um botão que se abre em flor, em vida, em amor. Você é jovem, é bonita, é forte. E a vida te espera para ser vivida em todos os detalhes. Aproveite-a, que você merece. Agora andas com teus pés e o meu olhar a seguir-te, amparando-te. Mais adiante meu olhar apenas te seguirá e me orgulharei de te saber a flor do meu botão."
(Neuza Freitas)

Asas de borboleta

Este poema foi escrito pela minha mãe em 28/02/06. 
É o poema dela que mais gosto...

Poder voar, voar,
Sonhar, sonhar,
Com a esperança colorida,
Com o véu descortinado,
Com o amor suado,
Com o desejo.

Cintilar, cintilar,
Abrir as asas, voar,
E conquistar você.

E jogar tudo pro alto.
E mergulhar numa paz
Com turbilhão e calmaria,
Com sabor de alegria,
E ser feliz, e viver.
                                                   (Neuza Freitas)