27 de fev de 2014

Em mim



Busco a cura para o meu mal
O mal que penetra em mim
Que me arranha
Me consome
Me incendeia.

Estendo as mãos em um pedido de socorro
Mas ninguém aparece.

Deixo-me dominar, enfim,
Por este mal chamado você.

O meu mal-bem-querer.

 

3 comentários:

Anônimo disse...

Bela e singela poesia!

Ângelo Fernandes.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida bel
Mal que nos sonda e ronda... rs...
Bjm fraterno e quaresmal

António Jesus Batalha disse...

Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns,
também agradeço por partilhar o seu saber, se achar que merece a pena visitar o Peregrino E Servo,
também se achar que mereço e se o desejar faça parte dos meus amigos virtuais faça-o
de maneira a que possa encontrar o seu blog,irei seguir também o seu blog.
Deixo os meus cumprimentos, e muita paz.
Sou António Batalha.