12 de set de 2012

Dialogando sozinho


- Não, eu não vou, eu não quero mudar de lugar, nem a minha vida, eu estou acostumada a viver no meu mundo cercado por fantasias. Aí você chega e instala essa bagunça na minha vida. Se eu não arrumar isso, eu não vou sobreviver.

- Qual a razão para tanto desespero? A vida está em constante mudança: de sentimentos, de desejos, de direção. Não se prenda em fantasias, elas existem para iludir e desviar o foco dos seus sonhos reais.

- Mas é na fantasia que realizo meus sonhos mais secretos, é através dela que me sinto feliz, conquistando tudo que sempre quis.

- Mas, se você aceitar minha bagunça, tudo vai ser diferente, sonhos reais podem se concretizar, desejos podem se realizar e eu vou estar ao seu lado, sempre.

- Ah, fala sério! "Sempre" é uma palavra que não existe, pelo menos no meu vocabulário. Não é a fantasia que ilude, mas o tal "sempre". Quando passo a acreditar nesse "sempre", ele se esvai, ma abandona, não me permitindo ser feliz. O céu muda de cor, se fechando para mim, me envolvendo numa escuridão que dá medo. Me encolho num canto. Choro.

- Eu te acolho, te consolo. E não te abandonarei. Podemos juntar as nossas fantasias e construir um novo mundo real da cor que lhe for mais seguro. Eu preciso de você, da sua força, do seu carinho e atenção. E sei que você também precisa de mim. Eu vou te fazer feliz.

- Alguém está me chamando. Preciso desligar. Tchau!

- ...


Nenhum comentário: