10 de out de 2010

Encantos e Desencantos

Necessidade de viver sem perceber os movimentos, as visões do aquém, tão próximas que passam despercebidas. O impacto e a rapidez dos acontecimentos torturam-me a mente; procuro analisar e vencer os desafios impostos pela cultura do que é certo e do que é errado. O resgate do que acho é só meu. Eu decido se quero ilusão, desilusão ou descobrimento. Um autoconhecimento já está de bom tamanho. O equilíbrio é o mais saudável - é o que dizem. Mas será que quero me equilibrar nesta corda-bamba que chamamos de VIDA? Ou viver as loucuras dos meus pensamentos?
É muito fácil Encantar.
Desencantar talvez.
São muitas dúvidas, quereres e poesias. As experiências vividas são enriquecedoras. As conclusões são questionadoras.
Enfim, viver é um vai-e-vam nas ondas de um mar repleto de sentimentos, e navegando irei descobrindo que em cada porto há uma resposta para cada marca deixada na minha existência.

Nenhum comentário: